quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Vênus - Filó a fadinha lésbica - Revista Continente















HILDA HILST EM ANIMAÇÃO PORNOGRÁFICA
Sávio Leite encontrou no curta-metragem 'Vênus: Filó, a fadinha lésbica' a melhor linguagem para traduzir o anárquico, iconoclasta e provocativo poema de Hilda

TEXTO JÚLIO CAVANI
09 DE AGOSTO DE 2017
Fonte: http://revistacontinente.com.br/coberturas/cine-ceara/hilda-hilst-em-animacao-pornografica

O curta 'Vênus' é baseado na poesia 'Filó, a fadinha lésbica', de Hilda Hilst, e deverá incomodar pelas escolhas

Finalmente chegou ao Brasil um dos curtas-metragens nacionais mais bem-sucedidos de 2017 no circuito internacional. Vênus: Filó, a fadinha lésbica, do mineiro Sávio Leite, foi lançado no concorrido Festival de Berlim em fevereiro deste ano e, em junho, ainda participou do Festival de Annecy, principal mostra de cinema de animação do mundo. Depois de passar por 25 cidades no exterior, o filme fez a estreia brasileira oficial em Fortaleza na programação do Cine Ceará*.

A primeira exibição nacional, na verdade, seria no Recife, no Cine PE, mas Sávio Leite foi um dos diretores que decidiram retirar o filme da programação em protesto político contra o festival do empresário Alfredo Bertini (primeiro secretário do audiovisual do governo Temer, acusado de sabotar a participação de Aquarius na disputa por uma indicação ao Oscar). Vênus também não entrou no Anima Mundi, talvez por possuir um conteúdo pornográfico demais para o perfil conservador da mostra de animação realizada em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O filme faz parte de uma série de animações de Sávio Leite com títulos de nomes de planetas do sistema solar. Vênus é baseado na poesia Filó, a fadinha lésbica, da escritora Hilda Hilst (1930-2004), lançado em 1992 no livro erótico Bufólicas. No curta, o texto é interpretado por Helena Ignez, uma das maiores atrizes do cinema brasileiro (presente em clássicos como O bandido da luz vermelha, O padre e a moça e Copacabana mon amour).

Sávio encontrou na animação a melhor linguagem para traduzir o anárquico, iconoclasta e provocativo poema de Hilda. Ele ainda desenvolveu uma adaptação bastante atual, ao utilizar a linguagem dos GIFs animados da internet, populares em sites de sexo explícito. Algumas das cenas, inclusive, foram desenhadas por cima desses pequenos vídeos repetitivos montados a partir de poucos frames ou fotos.

Em um tempo de engajamento político nas questões LGBT, é provável que Vênus vá incomodar e enfrentar cobranças exigentes, até por ser um filme realizado por homens com uma protagonista feminina e lésbica (o premiado Azul é a cor mais quente, por exemplo, foi bastante combatido na França). A assinatura de Hilda e a voz de Helena ajudam a contrapor essas possíveis críticas, assim como o tom nonsense da narrativa, que, em determinado ponto, desconstrói e reinventa as normatividades sexuais de forma escrachada e libertária. A correspondência entre palavras e imagens é bem livre, indireta e não linear, com um fluxo de informações que alcança mais sentido no subconsciente sexual da plateia.

A trajetória do curta coincide ainda com um bom momento vivido pelo cinema de animação produzido no Brasil, simbolizado pela indicação ao Oscar, conquistada em 2016, do longa-metragem O menino e o mundo, de Alê Abreu. Ainda no mesmo ano, o desenho animado Quando os dias eram eternos, de Marcus Vasconcelos, foi um dos curtas mais premiados do país e venceu, inclusive, o troféu Candango de Melhor Curta-Metragem no Festival de Brasília (disputado também por filmes de ficção e documentários). Em 2017, é celebrado o centenário da animação brasileira, que começou em 1917 com O Kaiser, de Álvaro Martins.

A primeira projeção de Vênus: Filó, a fadinha lésbica no Recife ainda não tem data definida, mas é possível que o curta esteja nos festivais Animage (o mais provável), Janela Internacional de Cinema ou Recifest, pois se encaixa bem nos perfis dos três eventos.

JÚLIO CAVANI, jornalista, crítico e realizador. Dirigiu os curtas Deixem Diana em paz (2013) e História natural (2014). Atualmente, é também curador do festival Animage.

* O jornalista viajou a convite do festival, realizado de 5 a 11 de agosto em Fortaleza (CE).

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Vênus Filó a fadinha lésbica - Imprensa












(Denis Leroy)


Cine Ceará 2017: Animação brasileira exibida no Festival de Berlim traz cenas de sexo explícito
Conheça o curta Vênus - Filó, a Fadinha Lésbica.
Francisco Russo
7 AGO 2017 17h08
fonte: https://www.terra.com.br/diversao/cinema/adorocinema/cine-ceara-2017-animacao-brasileira-exibida-no-festival-de-berlim-traz-cenas-de-sexo-explicito,c6124e2bd3d5227d35560215779e3f57m7xj8ely.html


Dentre os  12 filmes brasileiros selecionados para o Festival de Berlim deste ano, um deles chamou a atenção já pelo título: Vênus - Filó, a Fadinha Lésbica. Feito inteiramente em animação, o curta dirigido por  Sávio Leite teve sua première mundial em plena Berlinale, onde pôde apresentar a versão com imagens do poema erótico homônimo escrito por Hilda Hilst, publicado no livro Bufólicas.

A estreia em festivais brasileiros teve que aguardar um pouco. Inicialmente previsto para o Cine PE, o curta foi retirado da programação devido ao  protesto coletivo sobre o discurso partidário de direita de alguns filmes selecionados, como  O Jardim das Aflições e Real - O Plano por Trás da História. Desta forma, a primeira exibição pública em festivais nacionais teve que ser adiada para o Cine Ceará, onde também foi selecionado para a mostra competitiva.

Exibido ontem no Cine Teatro São Luiz,

Filó, a Fadinha Lésbica
deixou parte do público desconfortável devido ao forte conteúdo erótico. Narrado com uma boa dose de deboche pela inconfundível voz de Helena Ignez, musa do cinema marginal, o curta traz várias cenas de sexo explícito ao contar a história do sequestro de Filó por um "cara troncudão com focinho de tira".
Feito através da técnica de rotoscopia, onde se desenha a partir de imagens gravadas, Filó teve como grande inspiração os gifs animados eróticos - não por acaso, a internet é citada nos agradecimentos presentes nos créditos finais. Provocador e ousado, o curta tem como proposta maior cutucar o tabu em torno do sexo a partir de um supostamente singelo conto de fadas.

O Cine Ceará continua nesta segunda-feira, com a exibição de mais três curtas e o longa argentino Ninguém Está Olhando. Acompanhe nossa cobertura diária no

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

HORIZONTE TRANSVERSAIS - Ana Moravi (prg.)






 MORAVI, Ana. Horizontes Transversais - artistas do som e da imagem em Minas Gerais (2000/2010) - Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, 2014, 320 p.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

terça-feira, 4 de julho de 2017

VÊNUS - Se Vale Soñar - Animation aus Lateinamerika - Berlin












ANIMASIVO-Contemporary Animation Festival (Mexico City) arrives in Berlin and invites you to a very special night: a panorama of short films from Latin America in collaboration with KINO.
After the screening artist Edna Martínez will make us dance with her amazing music selection.
The night is dedicated to exploring the images and sounds produced in the region. From more poetic and abstract films to documentaries, this selection shows an approach to independent film production.
Rhythms, shapes, figures and characters from the other side of the Atlantic to think about the world we live in by using moving images.
We invite you to enjoy this selection of fantastic shamans-animators. A contemporary tale made of pixels and found materials.

ARTISTAS: Tania DLa de León (mx), Camilla Uboldi (ita-mx), Carlos Gomez Salamanca (col), Simon Wilches (col), Santiago "bou" Grasso y Patricio Plaza Plaza (arg), Cristobal León y Joaquin Cociña (Chile), Camillo Colmenares (Col), Carolina Corral (mx), Josué Vásquez Peralta y Benjamín Mugía (mx), Savio Leite Leite (brasil), Caracrimen (mx)

segunda-feira, 3 de julho de 2017

PAN & CIRCUS - BERLIM

pan & circus
kulturbistro

experimental videos / concerts / vegan food

dritte Edition
25.04, Dienstag, ab 18 Uhr

_ Konzerte mit Glorias Navales (folk, experimental aus Chile)
und Lolita Terrorist Sounds (experimental, tribal aus Berlin)

_ Reprise Animations von Sávio Leite und Videos + Installation von Felipe Frozza und Rike Flämig

videos ab 20 Uhr // Konzerte ab 21 Uhr

@ Galerie ZeitZone
Adalbertstrasse 79, Berlin (ecke Waldemarstr.)
(U8 Kottbusser Tor)


#
‚Pan & Circus‘ ist ein alter Ausdruck, der die Geschichte von Politik und Kultur geprägt hat. Aber hier ist auch das Treffen zwischen veganes Essen und unabhängige und kulturelle Veranstaltungen.

Die dritte Edition bringt die Reprise von Kurzfilme der brasilianische Filmmaker Sávio Leite, der eine Animation in der Berlinale 2017 präsentiert hat. Auch projektieren wir zwei videos und eine Video Installation der brasilianische Filmmaker Felipe Frozza, in Kollaboration mit der deutsche Performerin Rike Flämig.

Für dies Pan & Circus haben wir diesmal zwei Konzerte, ein mit der Band Glorias Navales, aus Chile, die einen Tour in Europa erstes Mal macht. Die Chilene Band spielt eine Mischung von chilene folk Musik, psychedelia und experimental.
Und die Nacht beginnt mit Lolita Terrorist Sounds, ein Projekt von Maurizio Vitale. Er macht am 25.04 ein experimental solo set anhand von drumming, live looping und Gesang.


#
Menu:
vegan Sandwiches (mit Tofu und Oliven, oder Humus und Salat).
Bio Tee, Bier, Bio Wein.

#
Schedule third Edition:

Video sessions:
session 1 _ 20 Uhr - reprise videos Felipe Frozza (infos below)
session 2 _ 20:30 & 23 Uhr - reprise videos Sávio Leite (infos below)
Konzerte:
_ 21 Uhr _ Lolita Terrorist Sounds (one man band show, Berlin)
_ 22 Uhr _ Glorias Navales (Chile)

#
GLORIAS NAVALES (GxNx) is a five members ensemble based in Santiago, Chile. The group get together regularly in a private space to jam out a type of late night campfire trance music, bridging the gap aesthetically and stylistically between Chilean folk music (ala Violeta Parra) and ramshackle post-Velvets psychedelia. Their sound – crafted on acoustic guitars, rabel and bombo chino (drum) – have resulted in stunning releases; ‘Carta a Maureen Tucker’ ETCS and ‘Cofradia Nautical’ on Graham Lambkin’s KYE label.
Some members of Glorias Navels come from the experimental band A Full Cosmic Sound and are the heads of the label Yellow Moon Records in Santiago.

https://www.youtube.com/watch?v=WGPO3RqWibI
https://gxnx.bandcamp.com/

#
LOLITA TERRORIST SOUNDS is the stage name of Maurizio Vitale and very often includes special guests and collaborators. He’ll perform a solo set based on drumming, live looping and singing.
Maurizio Vitale is an Italian-born musician and is active in a number of artistic fields as drummer, music producer, multi-instrumentalist musician, performer, singer and movie actor.
L.T.S. is currently working on a debut album featuring as special guests Kristof Hahn (Swans), NU Unruh (Einstruzende Neubauten), Bob Rutman.

https://lolitaterroristsounds.bandcamp.com/
https://www.facebook.com/LOLITA-TERRORIST-SOUNDS-145066554852/

#
Videos by SÁVIO LEITE:
„Venus – Filó, a fadinha lésbica“ (Venus – Filly the Lesbian Little Fairy, 2017, 6'), presented in the Berlinale 2017 - Panorama;
+ past works:
„Plutão“ (2004, animation, 3’);
„Eu sou o Polvo“ („I am like the octopus“, about Lourenço Mutarelli, 2005, 4’42);
„Mercúrio“ (2007, animation, 4´);
„Terra“ („Earth“, 2008, 5’22, Portuguese, English subtitles);
"Saturno", by Savio Leite and Clécius Rodrigues (2014, animation, 8’34);

#
Videos and installation by FELIPE FROZZA, brazilian filmmaker in Berlin based, and RIKE FLÄMIG, german choreographer and performer.
_ "Disruptions" (2015, 4’55, DE)‚ "Roadblock" (2016, 5'), "Sumud" (video-installation-2016)

infos about videos:
http://panandcircus.blogspot.de/p/programm-von-2803.html

#
curated by Yellow Castle – arts & actions

domingo, 21 de maio de 2017

VÊNUS - Menção Honrosa - Festival de Cine Experimental de Bogotá - Cine Autopsia - 2017
















Por dar expresión a la oralidad brasileña dejándose atravesar por motivaciones de genero en el pasaje y experimentación con la animación.

Por dar expressão a oralidade brasileira deixando-se atravessar por motivações de gênero na passagem e experimentação com a animação.

domingo, 7 de maio de 2017

OS BONS SOBREVIVEM

Fonte: http://hojeemdia.com.br/almanaque/h%C3%A1-60-anos-o-est%C3%BAdio-hanna-barbera-criou-cl%C3%A1ssicos-e-mudou-a-hist%C3%B3ria-da-anima%C3%A7%C3%A3o-mundial-1.452486

segunda-feira, 1 de maio de 2017

domingo, 9 de abril de 2017

ARRUDAS - Visual Conteiner TV - Game Over - Fest Miden















Miden presents "Game Over", a program curated by Maria Bourika, on Visualcontainer TV (http://www.visualcontainer.net/), April 21-May 23, 2017.

Participant artists/works:

1. Maria Korporal, Stay or fly away?, Germany 2015, 0.49
2. Tahir Ün, The Game, Turkey 2013, 2.55
3. Teymur Daimi, Window, Azerbaijan 2015, 11.22
4. Aggeliki Bozou, Superm’s diary-Chapter 03: You and I, Greece 2015, 4.35
5. Cristina Pavesi, Stability tests #2, Italy 2015, 2.30
6. Sávio Leite, Arrudas, Brazil 2015, 0.35
7. Sylviatoyindustries/Sylvia Toy St. Louis, Passages, a Myth, Festival Cutting: The Discovery of the Pregnancy of the King, USA 2016, 1.34
8. Alan Butler, Haifisch, Los Santos 2016, 12.42
9. Kuesti Fraun, RollCalli, Germany 2015, 1.00
10. Mauricio Sanhueza, The Duel, Peru 2014, 3.35
11. Mikhail Basov, Out of Autofocus, Russia 2016, 2.03
12. Kuesti Fraun, Schael Sitt, Germany 2014, 2.20